Karma?

Por todos os caminhos percorridos, por todos os dias passados procuras um momento em que nada foi deixado ao acaso e sentiste a plenitude, nos momentos em que duvidas de tudo quanto te rodeia e te questiona esses parecem distantes, essa luz quase se extingue e ficas envolto numa névoa escura que não te permite observares se não as tuas falhas. Falas do amor e do ódio, distingues as cores e os cheiros, tocas os teus medos com emoção e deixas te levar pelo tempo desagregado por demasiadas palavras ditas, por outros contextos e por demais esperanças que te erguem num plano superior de consciência. Quem és tu afinal se não um herdeiro de um karma qualquer que não controlas e que parece fazer te refém do seu domínio para além dos limites do controlo. Podes ensaiar de manhã, a compreensão, podes até desejar mais do que te é possível mas nada como um equilibrio perverso parece sobrepor-se ao desempenho das tuas competências. Nada como mais um dia de silêncio para acordares com a sensação de que nada mudou a final e esse momento que procuras é uma constante imutável do dom da vida, que a busca frusta e a plenitude se encontra no usufruto do tempo que te desimobiliza á medida que encontras o teu centro.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s